Controle de Escorpião

Posted by   on

Como acabar com os escorpiões



Não é só na zona rural que ocorrem acidentes com animais peçonhentos "escorpiões", atualmente muitos casos acontecem nas na zona urbana, justamente pela migração direta ou indireta do animal.


O escorpião é um artrópode quelicerado, pertencente ao Filo Arthropoda (arthro: articuladas/ podos: pés), classe Arachnida (por terem oito pernas) e ordem Scorpiones. São animais vivíparos, extermamente venenosos e sua picada pode levar a morte.

Segundo a orientação do Manual de Controle de Escorpiões da  Vigilância Epidemiológica das 1.600 espécies conhecidas no mundo, apenas cerca de 25 são consideradas de interesse em saúde.
No Brasil, onde existem cerca de 160 espécies de escorpiões, as responsáveis pelos acidentes graves pertencem ao gênero Tityus que tem como característica, entre outras, a presença de um espinho sob o ferrão. As principais espécies capazes de causar acidentes graves são:

Tityus serrulatus
Conhecido como escorpião amarelo, é a principal espécie que causa acidentes graves, com registro de óbitos, principalmente em crianças.

▶ Principais características: possui as pernas e cauda amarelo-clara, e o tronco escuro. A denominação da espécie é devida à presença de uma serrilha nos 3º e 4º anéis da cauda. Mede até 7 cm de comprimento. Sua reprodução é partenogenética, na qual cada mãe tem aproximadamente dois partos com, em média, 20 filhotes cada, por ano, chegando a 160 filhotes durante a vida.

▶ Distribuição geográfica: antes restrita a Minas Gerais, devido à sua boa adaptação a ambientes urbanos e sua rápida e grande proliferação, hoje tem sua distribuição ampliada para Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Pernambuco, Sergipe, Piauí, Rio Grande do Norte, Goiás, Distrito Federal e, mais recentemente, alguns registros foram relatados
para Santa Catarina.

Tityus bahiensis
Conhecido por escorpião marrom ou preto

▶ Principais características: tem o tronco escuro, pernas e palpos com manchas escuras e cauda marrom-avermelhado. Não possui serrilha na cauda, e o adulto mede cerca de 7 cm. O macho é diferenciado por possuir pedipalpos volumosos com um vão arredondado entre os dedos utilizado para conter a fêmea durante a “dança nupcial” que culmina com a liberação de espermatóforo no solo e a fecundação da fêmea. Cada fêmea tem aproximadamente dois partos com 20 filhotes em média cada, por ano, chegando a 160 filhotes durante a vida.

▶ Distribuição geográfica: é a espécie que causa mais acidentes em São Paulo, sendo encontrado ainda em Minas Gerais, Goiás, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, e Rio Grande do Sul.

Tityus stigmurus
▶ Principais características: o escorpião amarelo do Nordeste, assemelha-se ao T. serrulatus nos hábitos

e na coloração, porém apresenta  uma faixa escura longitudinal na parte dorsal do seu mesossoma, seguido de uma mancha

triangular no prossoma. Também possui serrilha, porém, menos acentuada, nos 3o e 4º anéis da cauda.
▶ Distribuição geográfica: é a espécie que causa mais acidentes no Nordeste, presente em Pernambuco,
Bahia, Ceará, Piauí, Paraíba, Alagoas, Rio Grande do Norte e Sergipe.


Tityus paraensis
Conhecido por escorpião preto da Amazônia.
▶ Principais características: quando adultos, possuem coloração negra, podendo chegar a 9 cm de comprimento, porém quando jovens, sua coloração é bem diferente, com o corpo e apêndices castanhos e totalmente manchados de escuro, podendo ser confundido com outras espécies da Região Amazônica. Macho (figura 8) e fêmea (figura 7) são bem distintos, sendo que o primeiro apresenta os pedipalpos bastante finos e alongados, assim como o tronco e a cauda em relação à fêmea.

▶ Distribuição geográfica: espécie comum na Região Norte, principalmente no Pará e Amapá. Recentemente exemplares têm sido encontrados no Mato Grosso.

  COMO ACABAR COM OS ESCORPIÕES E OUTROS CUIDADOS:

  • Conserve quintal, jardim, garagem e porão livres de entulho, madeira, folhas secas ou lixo.

  • Não se deve colocar a mão em buracos no solo, fendas em árvores e sob ninhos de cupim de montículo.

  • Nunca deixe lixo ou coisas velhas acumuladas em volta da casa, principalmente restos de construção.

  • Procure sacudir roupas, toalhas e calçados antes de usar.

  • Material de construção, madeiras, garrafas, devem ser empilhados longe do chão, da parede e do teto, em local bem arejado.

  • Feche buracos, vãos e frestas das paredes, chão ou móveis, de dentro e de fora da casa. Vede soleiras de portas.

  • Ponha telas nos ralos do chão, pias e tanques.Se suas portas não são vedadas, ao anoitecer, feche os vãos das portas que dão para a rua e para o quintal.

  • O lixo deve ser fechado em sacos, para evitar baratas e outros insetos que poderiam atrair o interesse dos escorpiões. Coloque os sacos na rua apenas 1 hora antes do lixeiro passar.

  • Use luvas grossas ao trabalhar com materiais de construção.

  • Proporcionar uma adequada conservação dos jardins não acumulando madeiras, telhas e outros materiais.

  • Manter sempre um controle de baratas eliminado abrigo e alimento, e quando necessário providenciar o controle químico destes insetos.

  • Utilização de ralos protetores.

  • Evite ter plantas ornamentais densas, arbustos e trepadeiras junto a paredes e muros da sua casa.

  • Fique atento aos terrenos vizinhos a sua casa, terrenos baldios são um convite para escorpiões e baratas.

  • Na área rural, tome cuidado com barrancos, cupinzeiros e troncos de árvore abandonados.

Também já é bem difundido e usado as famosas galinhas D'Angola em várias áreas residenciais, por apresentarem ótimo resultado no controle desses animais peçonhentos.

É também recomendado que se mantenha uma área livre entre terrenos externos e as áreas residenciais, mantendo-se aceros entre os muros e cercas  nas áreas limites. (aceros são feitos como os aceros contra incêndio, costuma-se também jogar água de CAL nos aceros e pintar os muros e cercas) .

Não se recomenda usar produtos químicos como detetização ou outras formas pois corre-se o risco desses animais peçonhentos criarem resistencia aos venenos, o que se recomenda é fazer o controle de animais que serviriam de alimentos para os escorpiões como baratas, aranhas etc...

Para maiores informações consulte o serviço de vigilância mais próximo e solicite aos técnicos que fiscalizem a manutenção requerida para áreas endêmicas do escorpião.
Por Paulo Rocha

Gerente Nacional Ponto Sistema de Marketing

Engenheiro Industrial Quimico

Técnico em Vigilâncias a Saúde





Nenhum comentário:
Escreva um comentários

Deixe seu comentário, será muito bem vindo!

Faça você também parte do Ponto e anuncie conosco - Ponto Sistema de Marketing
Receba nossas Novidades