A cartilha de Tolstói por Regina Rousseau

Posted by   on

A cartilha de Tolstói


Para ele, o povo simples das aldeias russas sabia melhor do que ninguém contar histórias. Liev, um nobre conde, acreditava que o critério da pedagogia concentrava- se na liberdade. E utilizando várias concepções rousseaunianas,

fundou uma escola em suas terras para os filhos dos colonos.
Mais tarde desenvolveu uma nova maneira de educar, baseada em suas próprias experiências: para ensinar sobre a natureza ele levava seus alunos ao campo.
Algumas vezes, à noite, apontava-lhes os nomes das constelações.
Seus alunos não levavam lições para casa, e podiam sentar-se em qualquer lugar da sala de aula e escolherem o assunto. Não havia lista de presença, notas, castigos, repreensões.
Para o mestre, ao conhecer a liberdade, o aluno desenvolveria sua personalidade,
sendo capaz de improvisações criativas durante a sua vida.
Ele percebeu que as crianças interessavam-se mais pelas lendas contadas com arte do que por simples narrativas de fatos históricos. Por isso, foi chamado de “o pedagogo do universo”, pelo imenso e admirável legado de histórias, fábulas
que nos deixou, com toda mestria. Devemos todos ler a cartilha de Liev Tolstói.

Regina Rousseau

Nenhum comentário:
Escreva um comentários

Deixe seu comentário, será muito bem vindo!

Faça você também parte do Ponto e anuncie conosco - Ponto Sistema de Marketing
Receba nossas Novidades