O que fazer quando seus filhos apresentam sinais de uso abusivo do álcool

Posted by   on

O que fazer quando seus filhos apresentam sinais de uso abusivo do álcool por Paulo Moreira Miguel Psicólogo

Para a maioria dos pais, falar sobre o uso de álcool não é uma questão fácil. Muitas vezes, quando se dão conta, o problema já está instalado, o que torna tudo mais difícil.
Por isso, é importante atentarmos a alguns sinais que podem estar relacionados a problemas relacionados ao uso indevido do álcool:

• mudanças de humor ou irritabilidade;
• falta de assiduidade na escola, notas baixas e ação disciplinar recente;
• rebeldia contra regras da família;
• relutância em apresentar novos amigos aos pais;
• aparência desleixada, falta de envolvimento em atividades que sempre o interessaram;
• baixa energia ou preguiça constante.
Apesar destes comportamentos serem muitas vezes próprios da adolescência, é preciso estar atento, principalmente se são observados muitos ao mesmo tempo em um curto espaço de tempo, e de curso progressivo.
Por outro lado, há outros sinais que são mais críticos:
• encontrar álcool no quarto ou na mochila do seu filho;
• sentir cheiro de álcool proveniente da sua respiração;
• lapsos de memória, dificuldade de concentração;
• olhos vermelhos, falta de coordenação motora e/ou fala arrastada.
Uma vez que alguns destes sinais foram identificados, é necessário intervir o quanto antes, mas com planejamento. É muito importante que a conversa seja realizada em um ambiente tranquilo e sem pressa, com disponibilidade de tempo de ambos. Um bom começo é perguntar ao seu filho o que ele pensa sobre o uso de bebidas alcoólicas, ouvindo-o com atenção e sem interrompê-lo. Muitas vezes os adolescentes têm uma visão equivocada sobre o uso de álcool e você pode ajudar a combater alguns mitos. É importante informá-lo que a cerveja e vinho não são mais “seguros” do que bebidas destiladas, e que o álcool é uma substância que age diretamente em órgãos como cérebro, coração e rins, diminuindo o tempo de reação, prejudicando a coordenação motora, a clareza de raciocínio e o julgamento, deste modo, afetando negativamente o corpo e a mente.
Ao falar com seu filho sobre razões para evitar o álcool, fique longe de táticas de intimidação. Os adolescentes estão cientes de que muitas pessoas bebem sem maiores problemas, por isso é importante discutir as conseqüências do uso do álcool sem exagero. Para esclarecer esta questão, deixe-o ciente que o álcool tem efeitos diferentes entre adultos e adolescentes, por isso é proibido para menores de idade.
Após esta introdução sobre os efeitos do álcool e da inviabilidade do seu uso na adolescência, uma boa estratégia é abordar sua autoestima, afirmando-lhes que são muito inteligentes e têm muitos projetos e possibilidades interessantes para que eles precisem se embriagar e de alguma forma fugir da realidade. Os pais podem usar exemplos de como o álcool pode levar a situações embaraçosas e prejudicar relacionamentos importantes por afetar a auto-imagem. Nesse momento, pode ser interessante usar exemplos pessoais que de alguma forma o prejudicaram no passado. Tudo deve ser discutido em um tom de parceria entre as partes, e não como uma palestra. Além da conversa, é importante incentivá-los a realizar tarefas desafiadoras e prazerosas que lhes ocupem o tempo livre.
É muito comum que reações agressivas dos adolescentes gerem um desequilíbrio emocional nos pais, o que pode comprometer seriamente a conversa. Procurar profissionais capacitados para auxiliar neste processo é de grande valia, assim como comunicar-se com outros pais que também estejam interessados em educar melhor os seus filhos.
Como discutido aqui, abordar o adolescente corretamente não é uma tarefa simples, pois exige dos pais um grande empenho na busca de informações. Além disso, dependendo de como é o seu estilo de vida, é necessária uma mudança em seus hábitos para que possa dar o exemplo, assim como o desenvolvimento do autocontrole.
Indiscutivelmente, a melhor maneira de prevenir que o seu filho se envolva com o uso abusivo de álcool na maioridade, é dando o exemplo. Atitudes simples, como não fazer o uso excessivo, não oferecer bebida a menores de idade e não passar a ideia de que você bebe como única opção de lazer ou relaxamento ajuda a evitar o consumo do álcool pelo adolescente. Além disso, é muito importante estimular hábitos saudáveis no tempo livre, como atividades culturais e a prática de exercícios físicos.

Nenhum comentário:
Escreva um comentários

Deixe seu comentário, será muito bem vindo!

Faça você também parte do Ponto e anuncie conosco - Ponto Sistema de Marketing
Receba nossas Novidades